Lendo e divagando: Juliette Ferrars

Deixa eu te contar uma história. Eu fiquei maluca para ler Estilhaça-me e quando finalmente o fiz, eu me desapontei taaaaaanto com esse livro! Então, eu escrevi uma resenha e foi a minha primeira resenha crítica de todas - e pra ser sincera, eu acabei com o livro e com a personagem Juliette. Eu estava tão brava porque Juliette tinha sido uma personagem tão chata, era tão poderosa e não perceber isso de jeito nenhum! Warner me encheu tanto o saco quanto Adam e quanto Juliette. Mas então, eu li Destrua-me e minha vida mudou.
Juliette Ferrars é hoje uma das minhas melhores amigas. Ela deveria ser apenas uma personagem, né? Mas graças a Deus (e a Tahereh Mafi também), eu decidi fazer dela mais que isso.
Juliette passou mais de 200 dias em uma cela, sozinha, falando com as paredes. Ela era uma garota solitária e, vamos combinar, maluquinha. Ela sempre se viu como um monstro. Juliette, quanod mais nova, matou uma criança com nenhuma má intenção mas as pessoas simplesmente a rotularam como um mostro e ela acreditou. Se você quer saber, eu também eu acreditaria nisso se fosse ela. Quando Adam apareceu na história, ele deu um pouco de atenção a ela e amor e tudo que ela fez foi aceitar e amá-lo de volta. Tudo que eu fiz quando li pela primeira vez isso foi pensar: VOCÊ TÁ MALUCA? VOCÊ. NÃO. PODE. CONFIAR. NAS. PESSOAS. NÃO PODE MESMO! Odeio instalove!!!
Mas vamos pensar um pouco sobre isso. Ao invés de criar muralhas e distanciar as pessoas, Juliette estava louca por atenção. Seus pais a deixaram com o Reestabelecimento e ela foi presa. As duas pessoas que deveriam estar ao seu lado, nunca estiveram. E Adam deu esse amor a ela.
Ela sempre foi meio maluca agindo de um jeito esquisitinho né? Eu sempre pensei: ah, vamos parar de ser boba! Quando ela finalmente saiu da prisão, foi como se ela tivesse que aprender tudo de novo... Como lidar com as pessoas. Como confiar nas pessoas. Como confiar em si mesma. Ela sempre pensou que fosse um monstro. Juliette sempre precisou de confiar em si mesma, em seus poderes, e na mulher forte que ela poderia ser. Nós conseguimos ver essa evolução nos próximos livros.
J é incrível. Ela é forte. E ela poderia tomar o mundo para si mesma se quisesse. Mas ela nunca sabia disso em Estilhaça-me. Ela teve que se descobrir.

''Por muitos anos, vivi em constante terror comigo mesma. A dúvida tinha se casado com o medo e se mudado para a minha mente, onde construiu castelos e governou reinos e mandou em mim, subjugando minha vontade a seus sussurros até eu ser pouco mais que um peão obediente, muito aterrorizada para desobedecer, muito aterrorizada para discordar. Eu tinha sido algemada, uma prisioneira em minha própria mente.
Mas, enfim, enfim eu havia aprendido a me libertar.''
Deixa eu falar também sobre Adam e a Warner. Adam sempre fez com que ela pensasse que ela era frágil, que precisava de proteção, que ela precisava DELE. Ele sempre fez ela pensar que seus poderes eram um problema. E pior: ele sempre a fez pensar que ela deveria fugir ao invés de lutar. Mas o Warner... Ah, Warner! Ele a fez acreditar em si mesma, descobrir seus poderes e descobrir o potencial que ela tinha dentro dela de ser uma mulher tão poderosa! E por causa dele, Juliette descobriu que tinha poder o suficiente para tomar o mundo.

Não odeie Juliette Ferrars. Não desista dela tão fácil. Ela vai ser no futuro uma personagem INCRÍVEL. Ela vai encontrar o seu caminho e a sua força. Acredite em mim, você tem que ver isso!



Nós deveríamos ser mais como a Juliette. Não deveríamos dar o poder para o mundo nos colocar par abaixo. Nós somos fortes. Nós temos nosso próprio poder. E nós podemos tomar o mundo inteiro, se quisermos (só se você não for um vilão, é claro). 

Bianca Karina Teles

Um comentário:

  1. Ain que lindaaa! Vc voltooooou! Eu sempre dou uma passadinha aqui pra ler suas opiniões literárias... hehe. by Ruama *-*

    ResponderExcluir

Ficamos feliz em vê-lo por aqui! Todos os comentários são moderados para que sempre receba uma resposta e também para evitar inconveniências :)